segunda-feira , 22 maio 2017
Últimas Notícias

Seminaristas receberão os ministérios de leitorato e acolitato

12180194_10207889787548369_138883386_n

Gerson Bris e Glauber Gualberto, seminaristas da Pequena Missão para Surdos receberão os ministérios de Leitor e Acólito durante a Celebração Eucarística no dia 29 de novembro de 2015 às 8h em Maringá. A missa será presidida por Dom Anuar Battisti, arcebispo de Maringá.

Entenda:

O papa Paulo  VI publicou em 1973, a carta apostólica Ministeria quaedam, que estabelece os ministérios leigos de leitor e de acólito, a ser conferidos a todos os candidatos às ordens sagradas. Para isto, devem ser atendidas as seguintes condições:

Para a admissão aos ministérios, são necessárias:

a) a solicitação, livremente feita e assinada pelo aspirante, a ser apresentada ao ordinário (o bispo e, nos institutos clericais, o superior maior), a quem cabe a aceitação;

b) a idade adequada e as qualidades especiais, que devem ser determinadas pela conferência episcopal;

c) a determinação de servir fielmente a Deus e ao povo cristão.

Os ministérios são conferidos pelo ordinário (o bispo e, nos institutos clericais, o superior maior), com o rito litúrgico “Instituição do Leitor” e “Instituição do Acólito”, reconhecido pela Sé Apostólica.

Entre o recebimento do leitorado e o do acolitado, sejam respeitados os interstícios estabelecidos pela Santa Sé ou pelas conferências episcopais, toda vez que a mesma pessoa recebe mais de um ministério.

Os candidatos ao diaconado e ao sacerdócio devem receber os ministérios de leitor e de acólito, se ainda não os tiverem recebido, e exercê-los durante um período de tempo adequado, de modo a melhor se disporem aos futuros serviços da Palavra e do Altar. Para os mesmos candidatos, a dispensa de receber os ministérios é reservada à Santa Sé..

As regras essenciais deste documento papal foram posteriormente incorporadas aos cânones 230 e 1035 do Código de Direito Canônico.

O primeiro parágrafo do cânon 230 diz:

Os leigos do sexo masculino, com a idade e as qualificações estabelecidas por decreto da conferência episcopal, podem receber, de forma permanente, por meio do rito litúrgico estabelecido, os ministérios de leitores e de acólitos.

Um homem pode, portanto, tornar-se leitor sem necessariamente aspirar a se tornar acólito, mas não parece que possa tornar-se acólito sem antes passar pelo leitorado. Deve-se admitir, no entanto, que, por várias razões práticas, esses ministérios são concedidos quase exclusivamente aos candidatos ao sacerdócio e ao diaconato.

Por sua vez, o cânone 1035 diz:

§ 1. Antes da promoção ao diaconato, seja permanente ou transitório, devem-se ter recebido os ministérios de leitor e de acólito, os quais devem ter sido exercidos durante um tempo apropriado.

§ 2. Entre a concessão do acolitado e a do diaconato, haja um intervalo de pelo menos seis meses.

O texto mostra que o ministério do acolitado precede o diaconato. Como não é feita nenhuma menção ao tempo durante o qual deve ser exercido o leitorado, pode-se deduzir que ele seja concedido logicamente antes. Tampouco há qualquer menção ao tempo que deve decorrer entre o recebimento do leitorado e do acolitado.

 

 

 

Deixe uma resposta

Scroll To Top